Imunocromatografia

A imunocromatografia é baseada na detecção de um antígeno específico através de difusão cromatográfica. Anticorpos monoclonais de camundongo específicos para o antígeno MPT 64 do Mycobacterium tuberculosis, por exemplo, são adicionados a uma membrana de nitrocelulose para agir como anticorpo de captura. Outro anticorpo, que reconhece outro epítopo do MPT 64 e está conjugado com partículas de ouro coloidal é utilizado para a detecção em um ensaio do tipo sanduíche. No trabalho mencionado aqui como referência, foram utilizadas 3 tipos de amostras: i) Culturas de Mycobacterium tuberculosis, ii) Cepas vacinais de Mycobacterium bovis bacilo de Calmette–Guérin (BCG) e iii) Culturas de outras Micobactérias. Foi considerado como resultado negativo a presença de apenas uma banda que representava o controle e como resultado positivo a presença de duas bandas.

Entre as 210 amostras de cepas de Mycobacterium tuberculosis isoladas de pacientes em meio específico, o resultado do teste por imunocromatografia foi positivo para 208 casos. Os dois resultados falsos negativos foram devidos à condensação do fluido de teste no meio Löwenstein Jensen quando da aplicação da amostra e, quando o teste foi realizado novamente nestas duas culturas, o resultado deu positivo para ambos. O artigo continua dizendo que todas as demais micobactérias apresentaram resultado negativo para o teste. Assim, a especificidade e a sensibilidade do teste foram de 100% e 99%, respectivamente e o Valor Preditivo Positivo foi de 100% enquanto o Valor Preditivo Negativo foi de 99%.

No entanto, um trabalho desenvolvido e publicado por pesquisadores da UNESP-Botucatu verificou que o teste imunocromato-gráfico para a pesquisa de Helicobacter pylori em cães não foi específico, já que a forma alongada e espiralada encontrada na microscopia de imersão não é compatí-vel com a espécie H. pylori diagnosticada pela sorologia, e sim compatível com a morfologia do Helicobacter helmanni.

Referências:

Marzouk M, Kahla IB, Hannachi N, Ferjeni A, Salma WB, Ghezal S, Boukadida J. Evaluation of an immunochromatographic assay for rapid identification of Mycobacterium tuberculosis complex in clinical isolates. Diagn. Microbiol. Infect. Dis. 2011 Apr; 69(4):396-9.

 Souza, M. L., Kobayasi, S., Rodrigues, M. A. M., Saad-Hossne, R., Naresse, L. E. Prevalência de Helicobacter em cães oriundos do biotério central da Universidade Estadual de São Paulo (UNESP)-Botucatu. Acta Cir. Bras. 2004.  19(5): 565-570.

Publicado em Geral | Deixe um comentário

PSORÍASE É UMA DOENÇA AUTOIMUNE?

Pesquisando para responder melhor a este questionamento de uma das alunas da habilitação em Análises Clínicas, encontrei uma ótima revisão de um grupo de pesquisadores da Universidade Federal da Bahia. Na revisão os autores fazem um apanhado histórico sobre a doença, mencionando sua presença em corpos mumificados do início da Era Cristã, assim como a confusão dos sintomas com aqueles relacionados à hanseníase.

O artigo, baseado em diversas referências utilizadas, continua, afirmando que a Psoríase é a doença mediada por resposta T dependente mais frequentemente diagnosticada no homem e uma das mais comuns doenças de cunho autoimune, com inflamação crônica da pele, lesões eritematosas com padrões variáveis e distribuídas pelo corpo, além de diversos fenótipos clínicos distintos.

No entanto, o artigo também afirma que a patogênese da doença permanece obscura. Fatores genéticos, ambientais e imunológicos estão envolvidos. Muitas evidências deste envolvimento do Sistema Imune na patogênese da Psoríase são sugeridas por diversos estudos. Como alguns exemplos, temos, o desenvolvimento da doença em indivíduos que receberam transplante de medula óssea de pacientes acometidos pela doença, assim como um melhor prognóstico nos pacientes diagnosticados com Psoríase e submetidos à ablação seguida por transplantes de medulas ósseas provenientes de indivíduos saudáveis (não diagnosticados com Psoríase), além da eficácia do tratamento com inibidores do TNF-a, ciclosporina e metotrexato.

O artigo é muito interessante não só pelos conhecimentos sobre a Psoríase, mas também faz um paralelo bastante atual sobre as relações da obesidade com respostas inflamatórias crônicas e o surgimento de doenças autoimunes como a Psoríase.

Dêem uma olhada…

Duarte GV, Follador I, Cavalheiro CM, Silva TS, Oliveira MF. Psoriasis and obesity: literature review and recommendations for management. An Bras Dermatol. 2010 Jun;85(3):355-60.

Publicado em Hoje | Deixe um comentário

CONCILIAR

Família, amigos, trabalho, responsabilidades, aspirações, política, sociedade, gestão… “Tempo, tempo, tempo, mano velho… Vai, vai, vai, vai…1

O início de mais um mês significa muito mais do que o progresso do ano. Abril representa mais um aniversário, três (3) anos do Francisco, como passou rápido! Um mês de aula dada na graduação e muitas tentativas de conciliação.

Confesso que às vezes é desanimador. Em certos momentos parece que você conseguiu uma grande conquista, tudo está acertado com os parceiros e as muitas negociações e resoluções aparentam solidez. Porém, muda a gestão e o trabalho realizado se torna improfícuo. Lamentável, porque o tempo é inexorável e não adianta imaginar ou idealizar um dia com mais do que vinte e quatro (24) horas.

Muitas vezes parece que o senso de dever foi deixado de lado, mas o que devemos considerar como nosso verdadeiro dever? Todos nós assumimos muitos compromissos imaginando-nos capazes de dar conta do recado e conciliar as diversas demandas do nosso dia-a-dia. Cabe ressaltar, porém, que não somos super-homens, tampouco deuses capazes de prever as emoções, vaidades, humores e apetites que permearão nosso ser psíquico e os desejos e aspirações dos nossos convivas no banquete das relações humanas.

O que importa é continuar lutando. Buscar a única coisa que realmente nos faz sentir vivos, a ambição da realização, da conquista, do reconhecimento. O sorriso do meu filho e da minha esposa após uma nova brincadeira ou uma boa conversa, uma tarde compartilhada com os amigos tomando um copo de cerveja e tendo um ótimo bate-papo, uma aula bem dada depois de um bom tempo preparando esta mesma aula.

Ninguém é perfeito, mas em algumas horas do dia, parece que chegamos perto da perfeição, porque “quase” tudo ao nosso redor se torna perfeito. Então, as desilusões são esquecidas e, como tolos estúpidos, acreditamos novamente que aquelas parcerias podem se conciliar com nossas aspirações e apostamos novas fichas.

Às vezes, vencemos…

 

1. Sobre o tempo – Pato Fu

 

| 3 Comentários

Início das Aulas

Um novo semestre se iniciou neste dia 01 de março e a questão é como nos preparamos para este novo ciclo. O plano pedagógico da Faculdade de Farmácia está em andamento e o que se observa é exatamente uma evidência de transição. Qual a metodologia ideal? Aquela utilizada com os alunos que estão terminando o curso no modelo antigo, ou aquela que busca contemplar a construção conjunta do conhecimento e a metodologia da problematização? Ambos modelos têm seu valor e se justificam com o instante em que foram adotados. Anteriormente buscava-se uma formação básica em todas as disciplinas com uma aula centrada na exposição de conteúdos que eram “absorvidos” pelos alunos e estes tinham então de demonstrar em avaliações (normalmente escritas) a capacidade de apreensão que, infelizmente, estava longe de significar compreender, julgar ou raciocinar. Assim, os alunos eram “formados” em Farmácia e Bioquímica, mas necessariamente tinham uma especialização que representava o assunto com o qual mais se identificavam, pois era neste assunto específico que eles buscavam mais informações e se aprofundavam com leituras adicionais e estudos mais complexos.

A atualidade exige um proceder diferente, todos nós ouvimos e lemos diariamente sobre interdisciplinaridade, transdisciplinaridade e multidisciplinaridade. O profissional que o mercado de trabalho exige hoje tem que necessariamente conhecer estas palavras e seu significado, isto representa uma nova postura social nas salas de aula dos cursos de graduação. Chegou o momento da busca do conhecimento pelos alunos e do papel de facilitador para o sucesso desta busca, por parte dos professores, cobranças serão inevitáveis e é saudável que elas aconteçam dentro dos limites do respeito e da consideração de todos os fatores que estão envolvidos em processos de transição. Portanto, precisamos de adaptação, diálogo e disposição para alcançar nosso objetivo maior, que é formar bons profissionais, mas acima de tudo, bons seres humanos.

| Deixe um comentário

Aprender a aprender

 

Um novo ano e novas perspectivas, este espaço ganhou conteúdo e aprendeu nestes dois anos e três meses de existência. A interação, preconizada desde o nascimento do blog, permanece como o combustível para o seu sucesso e utilidade, no entanto, novos conceitos como o construtivismo e a utilização de métodos para estudos autônomos surgem como importantes ingredientes para a sala de aula que pretendemos implementar nesta nova etapa. Não mais o estudo mecânico e ultrapassado, embora infelizmente ainda muito utilizado, que conduz à memorização dos conteúdos sem a “provocação de desafios e o propiciar de experimentos que levem os alunos a questionar os significados que atribuem aos conteúdos que aprendem”.

Surgem novas páginas com o início desta nova década. Informações sobre atividades de pesquisa e extensão serão disponibilizadas, já que projetos estão em andamento e começam a fornecer resultados e oportunidades de bolsas de estudo, além de temas para trabalhos de conclusão de curso (TCC). O laboratório de Controle de Qualidade Microbiológico da Faculdade de Farmácia – UFPA começa a sair do campo da idealização para o território da realização, com a compra de equipamentos e o início da construção da infra-estrutura mínima para o início das atividades.

O desejo para o novo ano é de muitas realizações, aprendizado e conquistas em todas as esferas importantes para que tenhamos qualidade de vida plena, com muito respeito pelos nossos semelhantes assim como também para os nossos sonhos e ideais.

Feliz 2011!

Publicado em Geral | Deixe um comentário

Workshop

Bem vindos ao II Workshop sobre Desenvolvimento Tecnológico de Medicamentos Fitoterápicos. Trata-se de mais um evento organizado pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas – PPGCF da Faculdade de Farmácia/UFPA. Nesta ocasião teremos a oportunidade de nos familiarizar com as pesquisas que têm sido realizadas pelos professores e pesquisadores do Programa, além das pesquisas dos demais participantes de outros estados, que desenvolvem novas tecnologias farmacêuticas para o desenvolvimento de fármacos, cosméticos e correlatos, a partir de produtos naturais.

Um número cada vez maior de informações sobre produtos florestais auto-sustentáveis está sendo disponibilizado através da mídia. Publicações científicas, jornais e páginas da internet têm atestado o seu valor econômico, as estratégias de mercado, o conhecimento tradicional inerente à sua utilização, a sua variedade e os diversos aspectos relativos à sua biodiversidade. O aumento global desta atenção reflete a relevância destes produtos não só em termos econômicos, mas também sociais. A possibilidade de gerar sustentabilidade, associada à contribuição, quanto à qualidade da alimentação e dos cuidados à saúde das comunidades dependentes das florestas, indicam esta importância.

No entanto, também não é novidade para a mídia, a falta de cuidado ainda existente na nossa sociedade com relação ao uso indiscriminado de medicamentos a base de ervas, o que acaba gerando graves problemas de saúde e um olhar de reprovação no meio acadêmico-científico e para a opinião pública. Neste contexto, o estudo sistematizado destas plantas ou produtos naturais e dos extratos, óleos e demais constituintes passíveis de serem extraídos por metodologias avançadas tornou-se uma demanda urgente e caracteriza os objetivos e o “DNA” do PPGCF.

Publicado em Geral | Deixe um comentário

“Oktoberfest ???”

Mês das crianças, mês dos professores, mês das eleições. Outubro simboliza neste ano de 2010 muito mais do que o décimo mês de um ano que corre em altíssima velocidade. Temos visto a importância da educação para uma maior qualidade de vida e para a criação de um estado de esperança que sobrepuje as mazelas ainda existentes na nossa sociedade. É com tudo isto em mente que enfatizamos a importância deste novo início de ciclo, que com ele venha o entusiasmo dos novos políticos, recentemente eleitos, mas também o entusiasmo de nós, eleitores e participantes na formação de um novo estado de direitos, de saberes e de conquistas.

| Deixe um comentário