Fazendas de Água

O objetivo principal da nossa ação é a aplicação do conhecimento científico e tecnológico disponível nas instituições de ensino e pesquisa participantes da proposta em projetos de desenvolvimento de planos de negócios de produtores rurais moradores de áreas com remanescentes da Mata Atlântica. Em contrapartida, os conhecimentos adquiridos pelos produtores ao longo de sua experiência diária no campo poderão fornecer novas tecnologias sociais que serão úteis para outros produtores, interessados em processos de transição da chamada agricultura convencional para a agricultura climaticamente inteligente. Nosso grupo de trabalho já vem executando projetos de ensino, pesquisa e extensão com resultados promissores e concernentes aos objetivos de desenvolvimento sustentável. Como exemplo temos o projeto “Bombeamento solar inteligente para irrigação sustentável”, coordenado pelo professor Rafael Malheiro da Silva do Amaral Ferreira, que conta com a parceria da Escola Técnica Natálio Salvador Antunes e as colaborações da Secretaria de Agricultura de Macaé e do Laboratório de Meteorologia da UENF (LAMET), onde alunos do ensino médio interagem com alunos de graduação do curso de engenharia investigando a arquitetura de equipamentos com finalidade de geração de energia de baixo custo, utilizando painéis fotovoltaicos. A energia gerada é utilizada no bombeamento de água para irrigação por gotejamento das culturas, favorecendo a economia de água e energia utilizada. Dentre os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável, podemos destacar a relação direta deste projeto com os objetivos 2, 4, 6, 7, 9, 11, 12 e 17, já que se tratam de objetivos relacionados às práticas sustentáveis, ações educativas, gerenciamento dos recursos hídricos, acesso à energia, fomento à inovação e construção de estruturas resilientes, além de fortalecer os meios para implementação de parcerias onde há benefícios evidentes para as partes interessadas (stakeholders). Paralelamente, o projeto executado no município de Rio das Ostras, denominado “Fazendas de água: impacto produtivo e ambiental de novas tecnologias sociais em propriedades rurais da microbacia dos rios Jundiá e das Ostras”, coordenado pelo professor Francisco Martins Teixeira, conta com a colaboração da EMATER-RIO e a parceria de quatro produtores rurais que aderiram ao projeto. Cada produtor apresenta atividades diversas quanto à sua produção, no entanto tem focado a atenção em um tipo específico de alimento. Assim, temos um produtor empenhado na produção de leite de origem bovina, um produtor dedicado à produção de queijo, que utiliza como insumo o leite do primeiro produtor citado, além de possuir uma produção orgânica de hortaliças, há também um produtor de uva e um produtor de mel. Aqui, mais uma vez, temos também muitos dos objetivos da agenda 2030 contemplados, já que a visão sistêmica no agronegócio faz gerar a garantia da qualidade dos produtos oferecidos e, dentro do conceito de visão sistêmica, podemos pensar em itens importantes da garantia da qualidade, tais como relações entre clientes externos e clientes internos, na importância da comunicação interna da empresa e na padronização de produtos e processos, através da certificação de fornecedores e demais participantes da cadeia produtiva. A agenda elaborada em consenso pelos países membros da Organização das Nações Unidas e disponível no documento “Transformando nosso mundo: a agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável” é em sua essência um plano de ação com foco nas pessoas, no planeta e na prosperidade e considerando estes fatores em conjunto, percebemos a complexidade dos processos de interação que são o resultado dos diversos interesses da sociedade. A erradicação da pobreza demanda estratégias de fortalecimento das economias locais e a agricultura familiar representa um dos modelos de negócio com o maior potencial para alcançar este objetivo.

Anúncios